O que saber antes de comprar um imóvel no exterior

23 de outubro de 2015



Feira chega a Curitiba para ajudar brasileiros a comprar imóveis nos Estados Unidos; veja seis dicas para fechar bem um negócio.

por Juliana Reis

Brasileiros estão em quarto lugar no ranking dos estrangeiros que mais buscam imóveis para compra nos Estados Unidos.  Os dados são da Associação Nacional de Agentes Imobiliários dos EUA e é um sinal de que a recessão econômica aliada às notícias de corrupção política no Brasil têm levado um número cada vez maior de brasileiros a se interessarem por esse mercado em outro país.

Em 2014,  mais de US$ 2,7 bilhões foram movimentados em compras de imóveis nos EUA por brasileiros buscando diversificar investimentos e de olho numa taxa de rendimento que pode chegar a até 10%, além de taxas de financiamentos mais baixas que as praticadas aqui.

Incentivada pelo perfil do consumidor no Sul do país, a feira Investir USA Expo – que reúne profissionais especializados no processo de aquisições e  investimentos imobiliários para estrangeiros – desembarca em Curitiba pela primeira vez nos dias 20 e 21 de novembro no Radisson Hotel.

Por lá, estarão presentes incorporadoras, imobiliárias americanas e serviços jurídicos e de imigração para esclarecer processos e oferecer oportunidades. Na edição paulista deste ano, o evento movimentou US$ 32 bilhões em negócios.

O brasileiro Daniel Rosenthal, especialista em mercado imobiliário internacional, vai estar no evento e conversou com a Top View sobre seis fatos que se deve ter em mente antes de comprar um imóvel nos Estados Unidos.

1) Ter claro seu objetivo

Quer ter retorno? Ou também quer ter renda? Ter em mente seu objetivo vai facilitar que os profissionais de imóveis encontrem exatamente o que você quer. “Um exemplo é o fato de que dependendo da região não se permite locação por temporada ou nem simplesmente locação para terceiros”, lembra Rosenthal.

“Logo, se você pretende ter renda com locação, o corretor já elimina diversas regiões e oferece opções com assertividade”.  A clareza de objetivo também ajuda os profissionais a fazerem o planejamento tributário do imóvel, que vai variar de acordo com seus objetivos

2) Procurar profissionais

Diferente do Brasil, nos Estados Unidos o costume de comprar imóveis diretamente com o proprietário não é difundido. Lá existe a figura do real estate assessor, um assessor que vai estar com você o tempo todo na busca pelo melhor negócio.

Ele vai ser a ponte para os três profissionais necessários para a realizar o negócio: corretor, advogado e contador. “Nos EUA, a figura do corretor é realmente valorizada. Não existe compra sem ele. E mais importante: o preço do imóvel vai ser o mesmo com ou sem corretor.”

3) Abandone a cultura brasileira de fazer negócios

american business way não dá brecha para atrasos em documentações, não dá descontos –  mas, sim, dá benefícios e valoriza parcerias  – e não aceita “reservas” de imóveis. “Ou você está interessado ou não. Pagou, é seu”,  diz Rosenthal, lembrando que também não existe negociação para desistências.

“Começou a pagar pelo negócio e desistiu? Não há devolução do dinheiro. Houve atraso? Vai ter multa.” As regras e os prazos são transparentes e se espera que sejam realmente cumpridos.  Enfim, esqueça o jeitinho brasileiro.

4) Seja transparente na hora de declarar a origem do dinheiro 

Toda transação é oficial e passa pelo Banco Central dos Estados Unidos. Se a origem do dinheiro com o qual você vai realizar a compra não for comprovada, não há negócio.

5) Não faça a compra como pessoa física

O imposto de sucessão de imóveis nos Estados Unidos passa de 40% . Para evitar essa taxação e ter seu investimento na aquisição do imóvel protegido, basta abrir uma empresa e fazer a compra com status de pessoa jurídica.

O contador ajuda na abertura de empresa – normalmente uma LLC (Limited Liability Companies, ou companhia de responsabilidade limitada) – num processo simples, rápido e que custa cerca de US$ 1000.

6) Lembre-se que casa melhor decorada e com infra-estrutura tem vantagem no mercado

Nos Estados Unidos existem empresas encarregadas de toda a manutenção do imóvel, uma vez que a lei exige uma estrutura mínima para que uma casa seja alugada. “Se ela for destinada a quatros pessoas, terá que ter quatro jogos de prato, por exemplo”, explica Rosenthal. “Vale a pena deixar a manutenção e decoração na mão de profissionais”.

SERVIÇO

INVESTIR USA EXPO. Dias 20 e 21 de novembro das 10h às 20h. No Radisson Hotel. Av. Sete de Setembro, 5.190 .



Volte



Organização e Promoção

O Investir USA Expo é o único evento que concentra diversas ofertas e informações para a a compra e investimento de imóveis nos Estados Unidos para investidores e compradores finais, além de proporcionar parcerias com os corretores de imóveis brasileiros para que os mesmos indiquem seus clientes e façam a intermediação do negócio com as empresas americanas. O evento é gratuito mediante prévia inscrição pelo site e os participantes tem acesso a área de exposição que conta com diversas empresas imobiliárias e incorporadoras que atuam em diversas regiões dos Estados Unidos e as palestras que objetivam esclarecer o processo de aquisição e investimento imobiliário para estrangeiros.

BENEFÍCIOS

  • Assista palestras educacionais sobre todo o processo de compra de imóveis nos EUA.
  • Contate diretamente com corretores imobiliários americanos, advogados de imigração, consultores fiscais, instituições financeiras, construtores e representantes de centros EB-5.
  • Conheça diversas oportunidades de investimento imobiliário.

Imóveis Residencial e Comercial • Imigração • Hipotecas & Financiamentos • Gestão de Imóveis • Tributação Internacional • Câmbio • Bancos e muito mais

Fique por dentro dos Investir EUA News.
Siga-Nos.